Arquivo da categoria: Blog

Os Números de 2016 by World Observer by Claudia & Vicente

O WordPress enviava anualmente as principais estatísticas sobre nosso blog. Este ano, por algum motivo desconhecido, eles não disponibilizaram o serviço. Resolvi criar um post inspirado na mesma estrutura dos anos anteriores para que os leitores do blog possam acessar os dados de 2016.

salasaopaulo

Sala São Paulo (Fonte: Wikipedia)

A belíssima sala de concertos São Paulo, localizada na antiga estação de trem Júlio Prestes, tem lugar para 1.500 pessoas. Este blog foi visto 24.000 vezes em 2016. Se fosse um concerto na Sala São Paulo, levaria cerca de 16 espetáculos lotados para que todas as pessoas pudessem vê-lo.

Foram publicados 14 artigos em 2016, incluindo dois artigos traduzidos para o inglês.

For a World More Healthy and Fair – Waste and Consciousness
My Ultimate Address

Assim o número total de artigos publicados desde 2009 chegou a 225.

Estes são os posts com mais visualizações no World Observer by Claudia & Vicente em 2016:

Já Temos a Tese e a Antítese – Chegou a Hora da Síntese (publicado em outubro de 2009)
Stay Hungry, Stay Foolish (publicado em outubro de 2011)
Rei Lear – A Velhice e a Sabedoria (publicado em novembro de 2011)
Há Dois Mil Anos Atrás – O Genial Heron de Alexandria (publicado em dezembro de 2013)
As Quatro Fases da Formação da Equipe de Projeto (publicado em janeiro de 2010)

Os sites que mais mencionaram o blog foram Facebook, LinkedIn, papacapimveg.com, Twitter, Google+.

Pessoas de 79 países acessaram o blog em 2016. Os leitores mais frequentes vieram do Brasil, Estados Unidos, Portugal, Moçambique, França e Angola.

O blog recebeu 40 novos comentários, os artigos mais comentados de 2016 foram Reações Espontâneas e Energia de Ativação – A Barreira Quase Intransponível para Ser Feliz, com 7 comentários, e Muito Triste, meu Brasil…, com 6 comentários.

Agradecemos sua participação em 2016 e tentaremos, em 2017, publicar, pelo menos, dois artigos por mês. Aguardamos sempre suas críticas e sugestões.

happy2017

Deixe um comentário

Arquivado em Blog, Geral

Os números de 2015 by WordPress

 

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2015 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House, tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto 26.000 vezes em 2015. Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 10 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

Deixe um comentário

Arquivado em Blog, Geral

Os números de 2014 by WordPress

Os duendes de estatísticas do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2014 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos em Sydney, Opera House tem lugar para 2.700 pessoas. Este blog foi visto por cerca de 20.600 vezes em 2014. Se fosse um show na Opera House, levaria cerca de 7 shows lotados para que muitas pessoas pudessem vê-lo.

Clique aqui para ver o relatório completo

Deixe um comentário

Arquivado em Blog, Geral, linkedin

Post 200 – Retrospectiva

Este é o ducentésimo (por que não é “duzentésimo”?) post publicado neste blog.

200-posts

Normalmente o centésimo é mais festejado, talvez pela introdução do terceiro dígito na contagem do número de posts, mas não posso perder a chance de fazer uma retrospectiva dos últimos cem posts publicados.

Vários posts foram inspirados por filmes. “Diários de Motocicleta” ajudou a contar a história da formação da consciência social de Che Guevara. “As Aventuras de Pi” tratou de temas como religiosidade e espiritualidade. “Amour” tratou dos sacrifícios extremos assumidos em nome do amor. “Meia-Noite em Paris” inspirou uma discussão sobre “O Passado e o Futuro”. “Ela” (título original Her) trouxe à tona as maravilhas e os perigos da inteligência artificial meio ano antes do físico Stephen Hawking externar seus temores sobre o assunto (fiquei bem acompanhado desta vez…).

Outros posts resgataram fatos históricos, como as descobertas e invenções de Heron de Alexandria ou o ato heroico de Sérgio Macaco que evitou centenas de mortes durante os anos de chumbo no Brasil. O próprio golpe militar foi protagonista de um post, onde reafirmei minha certeza que a democracia é o único caminho. As semelhanças dos casos de Napoleão Bonaparte e Eike Batista também renderam um post. E a guerra, o ato mais estúpido do ser humano, foi meu alvo após uma visita a Les Invalides em Paris,”Pra Não Dizer que Não Falei das Flores“.

O nascimento de nossa caçula, Luiza, recebeu um post superespecial – “A Maior Emoção da Minha Vida”. A Claudia deve futuramente fazer um post mais aprofundado sobre o parto humanizado.

Alguns posts trataram das minhas visões pessoais sobre família, amor pelos filhos (“Quando nos sentimos pais”) e educação dos filhos (“O que Dar e o que Esperar do Futuro de Nossos Filhos”). Afinal minha riqueza não deve ser medida pelos meus bens materiais, mas pela qualidade dos meus relacionamentos e “Eu Sou um Homem Rico”.

As questões do exibicionismo e da privacidade foram discutidas em dois posts, o primeiro sobre o BBB e o segundo que também trata do monitoramento da vida privada das pessoas pelos Estados – “Privacidade, Intromissão e Exibicionismo”. A propósito este post foi publicado quatro meses antes das denúncias de Edward Snowden.

As religiões e a manipulação dos fiéis por líderes inescrupulosos são fontes inesgotáveis de inspiração. Não escaparam deste blog o Islamismo, a igreja católica, representada pelos papas Bento XVI e Francisco, e nem mesmo “Deus, Sempre Ele”.

Dediquei dois posts para uma das piores figuras públicas da atualidade, o russo Vladimir Putin, sobre seu ecomarketing e sobre a Crimeia. Muito, mas muito menos importante, o ex-prefeito de Novo Hamburgo, Tarcísio Zimmermann, também foi “agraciado” com dois posts, enquanto tentava se reeleger antes de ser cassado devido à Lei da Ficha Limpa.

Em outros três posts, procurei comentar como nossos pensamentos podem ser nossos maiores aliados ou inimigos – “Como a Matrix de Neo e a Caverna de Platão nos Mostram a Realidade”, “Memórias e os Fantasmas do Passado” e “Como Assassinamos Nossos Insights”. Na mesma linha, escrevi mais dois posts – “O Medo” e “A Autossabotagem”.

A culinária vegana manteve seu lugar de destaque – moqueca de tofu, ratatouille, torta de sorvete, estrogonofe ou como preparar proteína texturizada de soja.

Aventurei-me em novos territórios – primeiro escrevi uma história infantil sobre bullying (“A Bruxinha Totute”); depois um poema no meio da “Turbulência” de um voo entre a França e o Brasil; mais um conto de ficção científica dividido em cinco partes sobre a expansão da humanidade em outros sistemas planetários e sua incontrolável ambição (“A Fonte da Juventude de Perennial”). Para finalizar escrevi, na semana passada, uma história que mescla ciência e religião (“Projeto Gaia – Experiência Final”).

Vários posts tiveram como inspiração as manifestações de junho do ano passado. Iniciei com “Os Protestos e a Verdadeira Democracia”, na sequência sugeri como próximo alvo a finada PEC 37/2011. Imaginem como ficaria a investigação da “Operação Lava Jato”, se o poder de investigação do Ministério Público Federal fosse tolhido? A melhoria nos serviços públicos de saúde foi um dos principais alvos dos manifestantes e o governo federal reagiu com a criação do “Programa Mais Médicos” que inspirou um artigo. Em breve, voltarei a escrever sobre a política brasileira.

Tentei desvendar os mistérios da satisfação pessoal em ”Não Esqueçam seus Objetivos Pessoais no Avião” e “Salário Motiva os Funcionários?”.

Questões éticas com animais foram tratadas em “Golfinhos de Guerra” e “Sofrer e Amar não são Exclusividades dos Humanos”.

A sustentabilidade ambiental também teve destaque com artigos sobre reciclagem de metais raros de telefones celulares, reciclagem de fósforo e da influência do consumo de carne na degradação do meio ambiente.

Este blog não é mais somente meu. A Claudia estreou em grande estilo com o post que conta como virou vegetariana, “Eu, a carne e a berinjela…”. Sinto que o respeito aos vegetarianos cresce a cada dia como retratei no post “Vitória Vegetariana”. E aqui entre nós, “Por Que Comer Carne?”.

A Copa do Mundo de Futebol realizada no Brasil em 2014 rendeu dois posts, “A Copa do Mundo Envergonhada” e “Como o Futebol Brasileiro foi Massacrado pelo Alemão”. Dentro da esfera futebolística, publiquei mais dois post “De Volta para o Meu Lugar”, sobre a reabertura do Beira-Rio, e “Fernandão, Vida, Morte e Piscadas”, sobre o morte do ídolo colorado Fernandão.

A seca em São Paulo que ameaça o fornecimento de água à população do estado também inspirou dois posts – “o que fazer quando a água acabar?” e “as medidas que evitariam a crise de abastecimento de água”. Apesar das excelentes chuvas dos últimos dias, o risco continua…

Falei sobre os mais variados assuntos, das “Gambiarras” ao “Portuglish ou Portunglês”, do show de Yusuf Islam em São Paulo aos “Múltiplos Papéis da Mulher no Mundo Atual”, dos conflitos entre judeus e palestinos em “O Escudo Humano” aos problemas da economia americana em “Obama e o Dilema Capitalista”, do racismo contra o goleiro Aranha a “Os Psicopatas, os Hiperativos, os Estranhos e os Normais”. Afinal “As Pessoas são Diferentes – Que Bom!!!”.

Agradeço a todos que acompanham nosso blog, espero críticas e sugestões para os assuntos dos próximos cem posts e lembro, mais uma vez que tento não falhar e fazer “Jornalismo Profundo como um Pires“ e “Eu Não me Chamo “Martho Medeiros”.

2 Comentários

Arquivado em Animais, Arte, Ética, Blog, Cinema, Economia, Educação, Esporte, Filosofia, Gastronomia, Gerenciamento de Projetos, Gestão de Pessoas, História, Inovação, Inter, Lazer, linkedin, Literatura, Música, Meio Ambiente, Política, Psicologia, Religião, Saúde, Segurança, Tecnologia, Turismo

Eu Não me Chamo “Martho Medeiros”

Faz quase quatro anos que mantenho este blog ativo e tenho publicado artigos todas as terças-feiras desde julho do ano passado, incluindo até a terça de carnaval. Confesso que algumas vezes não foi fácil encontrar algum assunto interessante. No penúltimo domingo, a Claudia me perguntou qual seria o assunto do próximo artigo. Eu comentei que escreveria sobre o reciclo de fósforo. Na sequência, completei:

– O número de acessos diretos através das redes sociais será baixo. Este tipo de artigo mais técnico tem pouco acesso.

Eu tinha assistido a algumas apresentações em uma feira sobre sustentabilidade na Alemanha e queria compartilhar algumas informações interessantes sobre reciclagem. Estava certo, não tive dez acessos diretos ao artigo, somando Facebook, Twitter e Linkedin. Tudo bem, não tenho como saber quantos dos assinantes diretos do blog, além da própria Claudia, leram este artigo… Alguns ainda dirão maldosamente que a “coitada” da Claudia é obrigada a ler tudo que eu escrevo, mas é mentira! Eu só tenho que obrigá-la a ler os posts sobre futebol…

Desde que criei meu blog, decidi que me manteria fiel a sua missão e escreveria sobre tudo o que me interessa. Alguns artigos fizeram mais sucesso; outros, muito pouco… Sinceramente, gostaria de ter milhares de acessos diários, mas não deixaria de publicar artigos que nasceram de uma boa reflexão e, ao escrevê-los, consegui resolver as maiores (só as maiores) inconsistências do meu pensamento. Muitas vezes não consigo solucionar meus conflitos, em relação ao tema, em uma ou, pior, duas páginas. Se a pessoa não se sente atraída por determinado tema, como vai suportar a leitura de um longo artigo? Parece impossível resumir tudo a poucos “tweets” de 140 caracteres…

Twitter

Meus sucessos (guardadas as devidas proporções) foram os artigos que tratavam de temas pessoais, como relacionamentos, ou os profissionais, como autorrealização e sucesso na carreira. Nesta hora, me dei conta de um dos motivos do sucesso da escritora Martha Medeiros.

Martha Medeiros

Martha Medeiros

Não sou um leitor frequente de suas colunas no jornal, mas acho seu estilo muito interessante. Ela apresenta temas, aparentemente simples do dia a dia, com sua visão de mundo, chegando a uma conclusão que eu concordo integralmente – não se preocupe com os rótulos e não se estresse em seguir os modelos de sucesso dos livros e revistas, ache seu modelo e seja feliz do seu jeito. E mais, sofrer de vez em quando também é normal.

Apesar dos meus textos de maior sucesso seguirem esta linha, eu não sou o “Martho Medeiros”!

Quero ter a mais completa liberdade no meu blog de baixar a lenha no ex-prefeito de Novo Hamburgo por causa de seus desmandos, como se minha antiga cidade no Rio Grande do Sul fosse a Antares de Érico Veríssimo ou a Lagoa Branca do excelente “Tambores Silenciosos” de Josué Guimarães. Afinal a política de Novo Hamburgo era a representação do pior da política brasileira (sobre a qual também escrevi)…

Quero falar livremente das religiões! Por que não questionar o Islamismo, o Judaísmo e o Cristianismo? Pior do que seguir cegamente alguma coisa, é ser manipulado por um líder sem escrúpulos. As escrituras não devem ser usadas literalmente fora do contexto da época. Não se pode destacar as passagens que interessam e omitir as que não interessam.

Quero escrever sobre futebol, sem deslumbramentos, apesar da maravilha que é meu Internacional, nem com aquele surrado chavão de “ópio do povo”.

Quero falar sobre tecnologia, meio ambiente, sobre o futuro da humanidade… Sou um otimista, apesar de ter certeza que o caminho até este futuro radioso não será um passeio no parque.

Quero falar sobre a ética como algo absoluto, jamais relativo. As circunstâncias que explicam os desvios de comportamento devem ser discutidas sem preconceitos, entendidas e alteradas.

Sei que muitas pessoas buscam algum conforto para seus problemas imediatos. Ler uma coluna da Martha Medeiros que ajude a perceber que você não é o único do mundo que sofre com certo tipo de dor é bom. Talvez por isto, as mulheres são suas maiores fãs. Como já escrevi no meu blog, as mulheres são pressionadas atualmente para serem mães, esposas, amantes e profissionais perfeitas. Sejam as melhores de acordo com suas possibilidades, porque perfeição total não existe! Quando eu escrevo sobre este tipo de assunto, existe sempre uma motivação pessoal, nasce dentro de mim ou da observação de uma pessoa próxima. O diabo é que ainda tenho aquela ideia de querer ajudar a salvar o mundo, por isso também tenho que escrever sobre política, religião, economia, tecnologia, meio ambiente…

Eu e Martha, sem dúvida, concordamos que escrever liberta, como pode ser visto neste trecho de uma entrevista:

– Para mim, escrever é libertador sempre. Posso ter sofrimentos meus pessoais, mas que na hora que começo a escrever começam a se dissolver. O ato da escrita não é sofrido. Sofrida é a vida. O ato de escrever, para mim, é mais cura do que sofrimento.

1 comentário

Arquivado em Arte, Ética, Blog, Esporte, linkedin, Literatura, Meio Ambiente, Política, Psicologia, Religião, Tecnologia

Os números de 2013 by WordPress

Os macacos ajudantes de estatística do WordPress.com prepararam um relatório para o ano de 2013 deste blog.

Aqui está um resumo:

A sala de concertos da Sydney Opera House tem capacidade para 2.700 pessoas. Este blog foi visto 24.400 vezes em 2013. Se fosse um concerto na Sydney Opera House, haveria cerca de 9 apresentações totalmente vendidas para muita gente assistir.

Clique aqui para ver o relatório completo.

Deixe um comentário

Arquivado em Blog, Geral, linkedin

De Onde Vem a Inspiração?

Na última edição da revista IstoÉ, tem uma interessante entrevista com o escritor Luís Fernando Veríssimo. Como antídoto contra a reconhecida timidez do escritor, a entrevista foi feita através de E-mails. Quem quiser lê-la na íntegra basta clicar no link abaixo.

http://www.istoe.com.br/assuntos/entrevista/detalhe/312972_O+INIMIGO+E+TUDO+INCLUSIVE+A+IDEOLOGIA+

Além das perguntas sobre a política brasileira e os recentes protestos populares, curiosidades sobre a vida atual do escritor, eu tive especial interesse na questão sobre qual tipo de situação ainda o inspira. A resposta foi a princípio decepcionante:

– Para quem escreve com regularidade, qualquer assunto é assunto. Eu sempre digo que a minha musa inspiradora é o prazo de entrega. E a crônica, sendo um gênero indefinido, comporta essa variedade de assuntos e de estilos.

Luís Fernado Verissimo

Luís Fernado Verissimo

Como dono deste blog, sofro com alguns períodos de “estiagem” criativa. Por outro lado, às vezes escrevo um artigo com rapidez. Certa vez, em um voo diurno entre New York e São Paulo, escrevi três posts. Na semana seguinte, refinei e publiquei no blog dois desses posts e o terceiro permanece inédito, fazendo companhia a uma coleção de artigos renegados. Este destino pode ser injusto para alguns destes artigos, mas, para outros, foi exemplar.

Algumas vezes, começo a escrever e reescrever dois ou três artigos ao mesmo tempo. Depois de uma ou duas semanas, nenhum destes artigos passou no meu controle de qualidade e foi publicado, entretanto, num certo dia, trabalho e finalizo todos. Sempre publico aquele que trata do assunto do momento e deixo os outros para os dias seguintes.

Hoje rendo-me ao grande Luís Fernando Veríssimo. Como sou um blogueiro amador, não tenho obrigações com o calendário. Caso contrário, trabalharia sobre um destes artigos até ficar pronto. Já percebi que escrever, como outros exercícios físicos ou intelectuais, depende de treino frequente e de muita persistência. No meu caso, sempre que fui assíduo ao escrever, senti um prazer viciante. Talvez o melhor seja eu me render a mesma musa inspiradora deste grande escritor gaúcho e criar uma obrigação clara e definida. A partir de hoje, meu blog passará a ter uma publicação semanal num dia específico da semana. A alteração do dia só será tolerada, se for uma antecipação por conta de uma atualidade realmente importante. A ausência de publicações será aceita apenas em caso de férias ou impossibilidades realmente relevantes.

Resta agora, escolher o dia da publicação… Muitas pessoas não gostam da segunda-feira, parecem repetir mentalmente aquele refrão do maior sucesso da banda Boomtown Rats do vocalista Bob Geldof, “I Don’t Like Mondays”. Sim, esta música não é do Rolling Stones de  Mick Jagger! Sexta, sábado e domingo são os dias das festas para uns, viagens para outros e descanso para os demais. Quarta-feira é o dia do futebol na TV… Entre terça e quinta-feira, escolho a primeira!

Assim espero aumentar a quantidade e melhorar a qualidade dos artigos deste blog, onde os leitores serão sempre os juízes. Até a próxima terça-feira!

6 Comentários

Arquivado em Arte, Blog, linkedin, Literatura