Arquivo do mês: agosto 2014

O Escudo Humano

Ele era o inimigo público número 1, como se dizia nas histórias policiais. Mais de cinquenta assassinatos eram atribuídos diretamente a ele, incluindo alguns policiais e duas famílias inteiras mortas com requintes de crueldade. Finalmente a polícia o encurralou na casa daquela família. O criminoso queria negociar:

– Minha vida pelas vidas das pessoas desta casa!

Ele queria um “salvo-conduto”, mas a polícia estava inflexível, não haveria negociação! Quando ele chegou à janela, usou uma filha do casal como escudo. Queria mostrar que não estava brincando e mataria todos, se a polícia tentasse entrar na casa. O atirador da polícia não teve dúvida e atirou, o bandido e a criança caíram mortos no chão da sala.

Os policiais se abraçaram e festejaram o sucesso da operação. O criminoso mais perigoso da região não mataria mais ninguém. Infelizmente aquela criança inocente acabou morrendo, mas, se o assassino tivesse saído livre daquela casa quantos inocentes ele mataria?

hostage

O criminoso havia usado uma criança como seu escudo humano, presumindo que isto inibiria uma ação mais violenta da polícia. Evidentemente a esmagadora maioria das pessoas não concordaria com o desfecho desta história fictícia. Não se pode aceitar que para “eliminar” uma ameaça se sacrifique um inocente.

Não farei uma análise profunda sobre a guerra entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza. Apenas seguirei a mesma linha da história que inventei há pouco.

Até agora centenas de civis palestinos, incluindo muitas crianças, morreram devido aos bombardeios de Israel à Faixa de Gaza. O governo israelense afirma que não está lançando bombas sobre civis e que a culpa é do Hamas que tem seus esconderijos e arsenais sob escolas e hospitais. Seria a mesma resposta que o policial que matou a criança-refém daria:

– Não atirei na criança! Atirei no assassino!

Por outro lado, Israel possui o melhor sistema antimísseis do mundo, o “Iron Dome” (Cúpula de Ferro). Graças ao seu sistema de defesa, felizmente há raríssimas baixas civis no lado israelense. Ou seja, os mísseis do Hamas não são uma ameaça tão terrível para a população do país.

Uma bateria antimísseis do Iron Dome (fonte: businessweek.com)

Uma bateria antimísseis do Iron Dome (fonte: businessweek.com)

Enquanto isto, além de vários prédios com civis, duas escolas da ONU com refugiados foram atingidas na Faixa de Gaza. Cada palestino que perde um irmão, cada filho que perde os pais ou cada pai que perde um filho torna-se um novo potencial recruta do Hamas. O ódio e a intolerância são realimentados e geram um círculo vicioso de violência. Israel não ganha nada com isto!

Escola da ONU em Gaza bombardeada por Israel (fonte: nbcnews.com)

Escola da ONU em Gaza bombardeada por Israel (fonte: nbcnews.com)

A paz só se tornará uma realidade naquela região, se houver tolerância, diálogo e ajuda humanitária entre os povos. Assim será construída a verdadeira e duradoura paz. Armas, bombas e violência de ambos os lados não construirão a paz. Como já falei neste blog, não há razão religiosa para esta guerra, porque Jeová, Deus e Alá são o mesmo Ente Supremo. Abraão e Moisés estão entre os principais profetas do Islã, assim como João Batista e Jesus Cristo.

arab-jew-child

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Ética, História, Política, Psicologia, Religião