Reações Espontâneas e Energia de Ativação – A Barreira Quase Intransponível Para Ser Feliz

Sabe que gostei deste negócio de misturar físico-química com comportamento humano… Hoje mostrarei que, da mesma forma que uma reação química, não basta ser espontânea para que uma transformação ocorra em nossas vidas, é necessária uma energia para iniciar o processo.

Muitas reações químicas que ocorrem à nossa volta são espontâneas, isto é, uma vez iniciadas prosseguem sem a necessidade de ajuda externa. A combustão da gasolina ou etanol é um exemplo deste tipo de reação. Se houver oxigênio, basta uma faísca para iniciá-la. Se não interferirmos, enquanto houver combustível e oxigênio, a chama não se extinguirá, porque a reação é espontânea.

Para reduzir a energia necessária para iniciar uma reação e aumentar sua velocidade muitas vezes usam-se catalisadores. Veja a figura abaixo.

Energia ativacao

Efeito do catalisador na energia de ativação de uma reação

Neste gráfico, fica claro que a reação catalisada (curva azul) ocorrerá mais facilmente do que a não-catalisada (curva vermelha).

Em nossas vidas, normalmente sabemos o que não está certo e o que deve ser mudado. Por que deixamos como está? Simplesmente, porque para que a mudança ocorra, necessitamos da “maldita” energia de ativação. Este é o motivo que justifica a permanência num emprego desmotivador, a manutenção de um casamento falido ou a dificuldade para assumir a opção sexual.

Para muitas pessoas, a energia para iniciar sua transformação é uma barreira praticamente intransponível. Medo do fracasso, de críticas dos outros, de preconceitos sociais elevam às alturas a demanda de energia de ativação.

gulliver

Gulliver preso pelas finas cordas dos pequenos habitantes de Lilliput. Na verdade, seu medo o manteve preso, não foram as cordas.

Neste momento, podem surgir catalisadores nas nossas vidas. Você está descontente com seu emprego e aparece uma proposta para um novo. Seu casamento vai de mal a pior e surge uma nova paixão. E assim por diante…

O ideal é autocatalisarmos as mudanças. Os catalisadores externos muitas vezes nos levam a armadilhas, porque as decisões são geralmente pouco refletidas. Passa-se anos sem encarar o problema, evitando até pensar nele e, graças a um estímulo externo, decide-se impulsivamente. Sempre é melhor refletir profundamente sobre os motivos das insatisfações para decidir quais serão as nossas ações para atacá-las. Geralmente os problemas, as oportunidades e as soluções já estão dentro de nós mesmos.

 

Anúncios

8 Comentários

Arquivado em Geral, Gestão de Pessoas, linkedin, Psicologia, Tecnologia

8 Respostas para “Reações Espontâneas e Energia de Ativação – A Barreira Quase Intransponível Para Ser Feliz

  1. Pingback: Os Números de 2016 by World Observer by Claudia & Vicente | World Observer by Claudia & Vicente

  2. Gerlon de Almeida

    Parabéns, Vicente. Deixo uma sugestão: a necessidade do equilíbrio nas relações entre as pessoas e os povos.

    Curtido por 1 pessoa

    • Valeu, Gerlon!
      Parece que você adivinhou… Estou preparando um novo artigo sobre o Princípio de Le Chatelier, soluções tampão e o equilíbrio pessoal e social.
      Grande abraço.

      Curtir

      • Gerlon de Almeida

        Ah, que legal!!! Há alguns dias o Rodrigo Constantino publicou em seu blog as maravilhas do consumismo americano, mostrando quão baratos são vários itens lá, em relação aos nossos. Fiquei na dúvida se esse consumismo seria viável se não existisse a escravidão na China, Bangladesh, etc. Acho que pode ser relacionado com o assunto do equilíbrio químico… O aumento do consumo, de modo sustentável, beneficia os que produzem e os que consomem. Na pobreza, uns não consomem porque não têm dinheiro, e não têm dinheiro porque não há indústrias, já que não há consumo. Já quando entra a escravidão na equação, fica mais fácil para alguns, mas ao custo da dificuldade de outros. É como uma reação química que só funciona quando se adiciona energia ao sistema. Não se pode ignorar que essa energia vem de algum lugar, nem a que custo ela chega. Um abraço!

        Curtido por 1 pessoa

        • Grande comentário, Gerlon!

          Rodrigo Constantino e outros ícones brasileiros neoliberais não conseguem olhar os mais pobres. Eles baseiam sua análise numa meritocracia, onde a mobilidade social torna-se cada vez mais difícil devido à dificuldade do acesso à educação de boa qualidade. O consumismo, que o capitalismo atual está baseado, não é sustentável social e ambientalmente. Escrevi dois artigos sobre este assunto especificamente.

          A Direita, a Esquerda e o Papa Marxista

          Por um Mundo mais Sadio e Justo – o Lixo e a Consciência

          Atualmente a quantidade de energia adicionada ao mundo pelo consumismo é enorme. As consequências desta ação é imprevisível. O mundo achará um novo equilíbrio, talvez seja algo muito pior que desejamos. Muita gente está lutando para modificar isto, mas haverá energia suficiente e tempo hábil?

          Grande abraço!

          Curtir

  3. Marcus Schulze

    Como sempre, Mestre Vicente, um excelente texto instigador à reflexão.

    Curtido por 1 pessoa

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s