Arquivo do mês: janeiro 2021

A Origem dos Beija-Flores – A Revolta das Sílfides

As Sílfides passam o dia inteiro carregando o pólen de flor em flor. Este trabalho incansável não é notado pela esmagadora maioria dos seres humanos que não enxerga os seres elementais.

Algumas Sílfides reclamavam muito disto:

– Nós somos responsáveis por todo o esplendor da flora; pelo surgimento das mais saborosas frutas; pelo sustento de todos animais. E os humanos desprezam nossa existência. Aqueles que nos enxergam são chamados de loucos. Tudo isso é muito injusto!

As Sílfides mais ponderadas sempre davam exemplos para confortar as mais exaltadas:

– Todos os seres têm seu lugar no mundo. Devemos fazer o melhor para manter a harmonia na natureza. Se um nó nesta grande rede falhar, pode aparecer um enorme rombo e trazer desgraças para todos os seres da natureza. Imagina se os minúsculos seres responsáveis pela decomposição das plantas e animais mortos achassem sua missão pouco nobre e desistissem de executá-la? A Terra ficaria coberta de cadáveres e os nutrientes destes corpos não retornariam ao solo. Em pouco tempo, a natureza seria severamente prejudicada.

Mas estes argumentos não traziam paz às Sílfides rebeldes:

– A maioria das pessoas sabem da existência destes seres que trabalham na decomposição dos corpos das plantas e animais. E reconhece sua importância. E nosso caso como fica? Acreditam que tudo é obra do acaso. Ah, estes humanos tolos sempre vendo obras do acaso por todos os lados… Mal sabem eles que, na polinização, nós somos o acaso.

As discussões foram se tornando cada vez mais fortes entre os dois grupos de Sílfides. Em um destes momentos, uma Sílfide mais radical propôs uma greve por tempo indeterminado.

Um grupo mais moderado de Sílfides das duas correntes de pensamento se reuniu secretamente para tentar encontrar uma solução para a crise, numa noite, no tronco de uma jabuticabeira. Depois de muita discussão, apareceu uma alternativa:

– As Sílfides devem prosseguir com a missão de polinizar as plantas. Assim devem continuar voando de flor de flor. Para os humanos vê-las, elas deveriam estar nos corpos de pássaros. Preferencialmente estas aves devem ser lindas e delicadas, modéstia à parte, como nós Sílfides somos.

A ideia foi apresentada para todas as Sílfides e aprovada por unanimidade. Deste modo, os beija-flores foram criados para abrigar as Sílfides rebeldes. E as pessoas param tudo que estão fazendo por breves instantes quando veem estas lindas aves voando de flor em flor.

Deixe um comentário

Arquivado em Animais, Arte, Geral, Lazer

A Origem das Jabuticabas – As Sílfides e a Jabuticabeira

Não existe outra árvore como a jabuticabeira! Além dela, qual árvore possui deliciosas frutas presas diretamente nos seus troncos e galhos? Mas houve um tempo em que a jabuticabeira não dava frutos e ela sentia uma profunda tristeza ao ver outras árvores floridas ou cheias de frutas ao seu redor.

Numa noite, uma jabuticabeira acordou de sono assustada ao sentir a presença de inúmeros seres sobre seu tronco e seus galhos. Ela sussurrou:

– Quem está sobre mim? Sei que não pousaram sobre meu corpo insetos ou outros seres conhecidos por mim!

Várias vozes falaram em coro:

– Somos Sílfides. Somos pequenas fadas da mata. Trabalhamos durante todo o dia, levando o pólen de uma flor para outra. Ajudamos as árvores desta floresta a frutificarem. Seus frutos serão alimentos para todos animais que aqui vivem e as sementes destes frutos, ao encontrarem solo fértil e água, gerarão novas árvores.

A Jabuticabeira retrucou:

– E por que vocês pousaram em mim? Sou uma pobre árvore estéril. Vocês estão vendo flores nas pontas dos meus ramos, como nos espetaculares ipês, flamboyants ou jacarandás? Vocês acham que todos esperam ansiosos minha floração como acontece com as cerejeiras que ainda produzem frutos deliciosos? Ah que injustiça…

Uma das Sílfides, constrangida, confessou:

– Na verdade, viemos descansar. Trabalhamos o dia inteiro, polinizando os ipês e procuramos um lugar, sem flores, para nos recuperarmos depois de um dia duro de trabalho. Sabe, não é bom levar o trabalho para casa…

Gotas de água começaram a verter por todas as folhas da Jabuticabeira até virarem uma chuva. As Sílfides fugiram para outra árvore com medo daquela tempestade causada pela tristeza da pobre árvore estéril.

Naquela noite, ninguém dormiu. Elas sugeriram diversas alternativas para acabar com o sofrimento daquela Jabuticabeira solitária. Uma sugeriu que ela tivesse flores lindas como as rosas; outra, flores delicadas como os lírios. Outra sugeriu que tivesse frutas como amoras; outra, como abacates ou goiabas. Finalmente, uma delas deu uma ideia incrível:

– Vamos fazer algo inédito! A Jabuticabeira terá flores parecidas conosco, pequeninhas e delicadas. Ao invés de nascer na ponta dos ramos, estas flores aparecerão no tronco e galhos grossos da árvore.

– E as frutas, como serão? – As outras perguntaram curiosas.

– Serão bolinhas escuras de uma doçura incrível. Os mais velhos se deliciarão catando-as do tronco e seu sabor ativará a memória dos tempos de criança, quando escalavam seus galhos, disputando com os pássaros desta mata cada frutinha.

Todas as Sílfides adoraram a ideia e naquela noite mesmo a colocaram em prática.

Pela manhã, a Jabuticabeira sentiu uma estranha comichão por todo seu corpo. Não entendeu o que estava acontecendo. Depois milhares de florzinhas pequenas e delicadas surgiram sobre seu tronco e galhos. Abelhas e Sílfides dançavam freneticamente em volta dela. O zumbido das asas era uma sinfonia, o fim do silêncio solitário.

Passados alguns dias as flores foram, progressivamente, substituídas por pequenas bolinhas verdes que foram crescendo e escurecendo até ficarem do tamanho de bolinhas de gude.

Insetos, pássaros e crianças passaram a disputar seus deliciosos frutos. As sementes voltaram para o solo e novas jabuticabeiras nasceram.

A Jabuticabeira ficou feliz. As Sílfides se orgulharam da sua criação. E nós somos imensamente gratos a elas.

Deixe um comentário

Arquivado em Arte, Lazer, Literatura

Os Números de 2020 de World Observer by Claudia & Vicente

O WordPress enviou até 2015 as principais estatísticas sobre nosso blog. Desde 2016, eles não disponibilizam mais o serviço. Resolvi criar em 2017 um post inspirado na mesma estrutura dos anos anteriores e, neste ano, faço o mesmo procedimento para que os leitores do blog possam acessar os dados de 2020.

A Kombi foi um dos automóveis mais icônicos produzidos no Brasil. Sua produção iniciou em 1957 e foi encerrada apenas em 2013. A versão para transporte, precursora das vans modernas, tem capacidade para 12 passageiros.

Em 2020, este blog foi acessado 18 mil vezes. Seriam necessárias 1500 Kombis lotadas para acomodar todas estas pessoas.

Foram publicados 7 artigos em 2020. Assim o número total de artigos publicados desde 2009 chegou a 261.

Estes são os 10 posts com mais visualizações no World Observer by Claudia & Vicente em 2020:

  1. Stay Hungry, Stay Foolish (publicado em outubro de 2011);
  2. Já Temos a Tese e a Antítese – Chegou a Hora da Síntese (publicado em outubro de 2009);
  3. As Quatro Fases da Formação da Equipe de Projeto (publicado em janeiro de 2010)
  4. Rei Lear – A Velhice e a Sabedoria (publicado em novembro de 2011);
  5. E se alguém te mandar para o “Quinto dos Infernos”? (publicado em outubro de 2009);
  6. Autofagia Liberal e o Umbigocentrismo (publicado em abril de 2017);
  7. Interpretação Definitiva de Johnny Cash para ONE do U2 (publicado em outubro de 2009);
  8. Há Dois Mil Anos Atrás – O Genial Heron de Alexandria (publicado em dezembro de 2013);
  9. A Primeira Lei da Termodinâmica e o Comportamento Humano (publicado em julho de 2016);
  10. Segredinho no preparo da Proteína Texturizada de Soja (publicado em setembro de 2014).

Fica claro que o blog virou referência em vários assuntos, porque oito dos dez posts mais acessados foram publicados há mais de cinco anos. O post publicado em 2020 com maior número de acessos foi sobre a postura de Jair Bolsonaro em relação à Covid-19 (postado em 29/03/2020) com 301 acessos.

O Triste Clown e seu All-In

O blog foi encontrado através de sites de busca (principalmente o Google) por mais de 12 mil pessoas.

Os sites que mais mencionaram o blog foram Facebook, LinkedIn, Pinterest e Twitter.

Acessos no blog por país

Pessoas de 72 países acessaram o blog em 2020. Os leitores mais frequentes vieram, pela ordem, do Brasil, Estados Unidos, Moçambique, Portugal, Alemanha, África do Sul, Reino Unido, China, Angola e França.

Mais de 500 vezes as figuras do blog receberam cliques em 2020.

Agradecemos sua participação em 2020 e aguardamos suas críticas, comentários e sugestões em 2021.

Deixe um comentário

Arquivado em Blog, Geral, linkedin