Arquivo do mês: outubro 2012

A Ignorância, o Atraso e o Oportunismo

No domingo que passei na Espanha, segui a sugestão do colega que estava no mesmo hotel e fizemos uma excursão para a cidade histórica de Girona e para Figueres, onde está localizado o Museu Salvador Dalí.

Girona é daquelas cidades europeias que tem mais tempo de história do que o nosso Brasil. Foi fundada pelos romanos na beira do rio Oñar, os vestígios das muralhas ainda estão firmes. Depois foi conquistada pelos visigodos, na sequência pelos árabes que foram expulsos pelos francos de Carlos Magno. Isto explica a semelhança da língua catalã falada por todos na região com o francês.

Cidade de Girona na Espanha

Cidade de Girona na Espanha

A cidade prosperou até o século XIV quando foi atingida pela epidemia de peste negra. A população da cidade, naquela época, tinha uma parcela expressiva de judeus, mais de 10% do total. A colônia era composta por profissionais das mais variadas áreas, com destaque para as ciências e medicina . Os médicos judeus tiveram pouco sucesso no tratamento dos pacientes desta doença e “pior”, a proporção de doentes  entre a sua etnia foi expressivamente menor do que na comunidade cristã. Isto ocorria, porque os judeus seguiam  rigorosamente suas leis referentes à higiene. Afinal quem tem melhores hábitos, é mais saudável.

Bairro Judeu da Cidade de Girona na Espanha

Uma das ruas do Bairro Judeu da cidade de Girona

O fanatismo religioso estimulado pelos poderosos da cidade levou muitos judeus ao massacre por serem considerados os responsáveis pela disseminação da doença. Outros se converteram ao Cristianismo para escapar da morte. Mais tarde, durante a famosa Inquisição Espanhola do século XV, muitos judeus  e “novos cristãos” foram perseguidos e mortos acusados de heresia. Na verdade, o mais importante para os reis da Espanha  era o confisco de todas as propriedades dos hereges. Mais uma vez, a ignorância foi usada pelos poderosos por meros interesses econômicos.

Fogueira de judeus

Judeus foram mortos por heresia em fogueiras

Na minha viagem de ida para a Europa, tinha um interessante artigo na Newsweek escrito por Hussain Haqqani,  ex-embaixador paquistanês em Washington de 2008 a 2011 e atualmente professor de relações internacionais na Boston University. Se quiser ler o artigo original na íntegra, basta clicar no link abaixo.

http://www.thedailybeast.com/newsweek/2012/09/30/husain-haqqani-muslim-rage-is-about-politics-not-religion.html

Hussain Haqqani

Hussain Haqqani

Com muito mais propriedade do que eu em meus artigos anteriores, Haqqani comenta que da mesma forma que as escrituras Judaicas ou Cristãs, os textos sagrados do Islã pregam a caridade, a bondade e o respeito pela vida. O Al Corão em muitas passagens encoraja seus seguidores a praticar o perdão. Em um episódio famoso, Muhammad perguntou pela saúde de uma anciã em Meca que jogava lixo nele todos os dias. Quando ela não apareceu para insultá-lo, ele ficou preocupado.

Haqqani cita vários casos de livros obscuros que se tornaram conhecidos por causa dos protestos e condenações (fatwa) dos seus autores à morte por autoridades religiosas. O objetivo, na verdade, não era acabar com as ofensas, mas mobilizar os mulçumanos contra o Ocidente. Os protestos das manchetes são função dos políticos, não da religião. Por exemplo, o governo paquistanês criou o “Dia do Amor do Profeta” e, apesar de 95% da população do país (190 milhões de habitantes) serem mulçumanos, apenas 45 mil pessoas participaram das manifestações que terminaram em mortes e feridos contra o filme “Innocence of Muslims”.

Salman Rushdie e seus "Versos Satânicos"

Salman Rushdie e seus “Versos Satânicos”

Metade dos analfabetos do mundo são mulçumanos e dois terços deste grupo são formados por mulheres. Nesta condição, as pessoas podem ser manipuladas com muito mais facilidade. A atenção do povo é desviada e o foco é “nós contra os outros”, quando deveria ser “nós contra os nossos problemas”.

sala  de aula no Paquistão

Sala de aula no Paquistão

Se você segue meu blog com regularidade, pode pensar que ultimamente estou batendo na mesma tecla. A ideia é mostrar diferentes exemplos onde a manipulação das pessoas pode gerar violência e intolerância. Muitas justificativas podem ser empregadas: autoridade, ordem, religião, pátria e tradição. Certa vez li uma frase creditada a Albert Einstein, depois vi que outros creditavam ao músico Maurice Ravel (autor do famoso “Bolero”), independente do autor, ela é impactante:

– A tradição é a personalidade dos imbecis.

Se agirmos da mesma forma, sem questionamentos, como se não existisse alternativa, seremos realmente uns imbecis. Assim qualquer um consegue convencer que o problema é outro país, outra raça ou outra religião. Não somos mais os responsáveis por conduzir e decidir sobre o que é melhor para nossas próprias vidas. Os outros ou as tradições decidem por nós…

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Ética, Educação, História, linkedin, Política, Psicologia, Religião

Aos Mestres com Carinho

Esta singela história aconteceu no já “longínquo” ano de 1973 no Colégio Notre Dame na cidade gaúcha de Passo Fundo. Acho que, pelo menos, uma das homenageadas deste post vai querer me matar por causa do adjetivo que usei para aquele ano…

Numa aula do segundo ano do primário, a professora afirmou que a Terra era um planeta e que os planetas giravam em torno do Sol. A volta completa demorava um ano ou aproximadamente 365 dias no nosso caso. Depois disse que a Terra e os outros corpos celestes do mesmo tipo também giravam em torno do seu eixo. A duração deste movimento de rotação era equivalente a um dia ou  24 horas, no caso da Terra. Quando o lado do planeta estava voltado para o Sol, tínhamos o dia e, quando não recebia os raios do “astro-rei”, era noite. E chegou o momento de explicar as estações do ano… Ela disse para a turma que as órbitas não eram circulares e sim “ovais”. Deste modo, quando a Terra está mais próxima do Sol, ficaria mais quente e teríamos o verão. Por outro lado, quando estivesse mais distante, ficaria mais frio e seria inverno.

Movimentos de rotação e translação da Terra em torno do Sol

Movimentos de rotação e translação da Terra em torno do Sol

Neste momento, eu fiz uma observação para a professora:

– Mas ontem eu vi no Jornal Nacional que estava nevando nos Estados Unidos e disseram que é o pior inverno dos últimos anos. Como é que lá é inverno e aqui no Brasil é verão ao mesmo tempo?

As quatro estações

As quatro estações

A professora foi atingida por um golpe inesperado. Ela poderia ter me desqualificado dizendo:

– Como um guri de 7 anos quer saber mais do que a professora?

Poderia ter simplesmente me “enrolado” e continuado a aula, mas ela fez algo inesquecível. Apenas parou, pensou e disse humildemente que não sabia a resposta naquele instante, mas que pesquisaria e, nos próximos dias, haveria uma explicação para minha dúvida.

Realmente após alguns dias, ela entrou na sala com um abajur e um globo terrestre e disse que teríamos uma aula especial sobre as estações do ano. Pediu para fecharmos todas as venezianas e cortinas. Depois um colega fez o papel do Sol, ao ligar o abajur. Ela desligou as luzes da sala e conduziu o globo na translação em torno do Sol. Mostrou que o eixo da Terra se inclina, fazendo que o hemisfério sul receba maior quantidade de raios solares no verão; e menor quantidade, no inverno. Tudo foi muito claro e visual. Depois usou meu exemplo e mostrou onde ficava os Estados Unidos (no inverno) e o Brasil (no verão). Na sequência, mostrou quando começava cada estação do ano nos dois hemisférios. Finalmente perguntou se minhas dúvidas tinham sido sanadas. Claro que foram!

Experiência do Sistema Solar

Experiência semelhante sobre o Sistema Solar

Aquela aula se tornou um benchmark, poucas vezes atingido. Tive outros grandes mestres na minha vida, mas guardo esta aula como um carinho especial. Na verdade, quantos professores desafiados por um aluno teriam um comportamento tão positivo como este? Na Universidade, não foram muitos… Talvez o orgulho, a insegurança ou a desmotivação impeçam o crescimento pessoal do próprio professor e da turma de estudantes. Se minha professora, que vergonhosamente não consigo lembrar o nome, ao invés de ter atitude proativa em relação ao meu questionamento, demonstrasse passividade ou, pior, agressividade, talvez hoje eu fosse outra pessoa ou profissional.

Neste Dia do Professor, só posso usar um velho chavão:

– Sem educação, não há solução!

Sem professores preparados e motivados, não conseguiremos formar os cidadãos e os profissionais que nosso mundo tanto precisa. Isto inclui, além de salário digno, treinamento contínuo. Encerro homenageando na pessoa da minha irmã Flávia que, por vocação, escolheu esta dura carreira, todos os professores que lutam, apesar de todas as dificuldades, para cumprir sua bela missão.

Feliz dia do professor

8 Comentários

Arquivado em Educação, Geral, linkedin, Psicologia

Auf Wiedersehen Tarcísio!

Meu domicílio eleitoral é Novo Hamburgo no Rio Grande do Sul. Como estou morando em São Paulo e não transferi meu título, este ano apenas justificarei minha ausência na urna. Apesar da distância, acompanhei alguns acontecimentos da campanha eleitoral hamburguense. Sem dúvida, o grande fato é a decisão da Justiça Eleitoral que considerou o candidato a reeleição, Tarcísio Zimmermann do PT, inelegível por causa da Lei da Ficha Limpa.

Tarcísio Zimmermann

Tarcísio Zimmermann (fonte: novohamburgo.org)

Em 2004, os candidatos à prefeitura, Tarcísio e o ex-prefeito Jair Foscarini (PMDB) participaram da inauguração de uma obra pública e tiveram o registro cassado naquele ano.  Como a Lei da Ficha Limpa torna o candidato condenado inelegível por oito anos, a candidatura do petista foi indeferida. Os advogados de Tarcísio alegam que o prazo se encerraria oito anos após o pleito de 2004, dia 2 de outubro, mas o ministro Arnaldo Versiani, do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), considerou que o impedimento vale até o final de 2012.

Em entrevista ao Terra, nesta sexta-feira, o petista disse que pensou melhor e resolveu “arriscar”. O risco citado pelo candidato seria a manutenção da decisão do ministro Arnaldo Versiani pelo plenário do TSE. Neste caso, haveria três alternativas: 

  1. Outro candidato ganha a eleição – caso encerrado, o recurso do Tarcísio perde a razão.
  2. Tarcísio vence com menos de 50% dos votos válidos – se ele perder o recurso, o segundo colocado assume a prefeitura.
  3. Tarcísio vence com mais de 50% dos votos válidos – se ele perder o recurso, o pleito será anulado, novas eleições para prefeito serão convocadas.

Ou seja, se o TSE entender que Tarcísio não tem razão, o Partido dos Trabalhadores terá um prejuízo eleitoral muito grande. Impressiona o domínio que o atual prefeito exerce sobre seu partido.

Quem acompanha meu blog sabe das críticas que tenho em relação ao atual governo exercido por Tarcísio Zimmermann em Novo Hamburgo. Tudo começou com a obra para colocação da rede de alta tensão na Avenida Sete de Setembro. Publiquei dois artigos (links abaixo) a respeito desta obra da empresa AES Sul. Descobri, neste período, como funcionava a Câmara dos Vereadores, onde poucos representantes faziam oposição, enquanto os outros concordavam com tudo que vinha do Executivo Municipal.

https://vicentemanera.com/2011/06/23/redes-de-alta-tensao-sobre-nossas-cabecas/

https://vicentemanera.com/2011/07/28/audiencia-publica-de-esclarecimentos-sobre-a-rede-de-alta-tensao-em-novo-hamburgo/

Também percebi que a principal empresa de comunicação da região, fazia propaganda positiva para o governo. Depois veio a gigantesca  campanha “Eu Cuido, Nós Cuidamos”, que atingiu várias mídias simultaneamente, como outdoors espalhados pela cidade, inserções nas programações de emissoras de rádio locais e da capital, além de anúncios em jornais. Os links abaixo são relativos aos dois artigos sobre o assunto.

https://vicentemanera.com/2011/10/22/liberdade-de-expressao/

https://vicentemanera.com/2011/10/29/gasto-com-publicidade-oficial-%e2%80%93-como-o-dinheiro-publico-escorre-pelo-ralo/

Resolvi atualizar a tabela e o gráfico sobre os gastos com publicidade da Prefeitura de Novo Hamburgo em 2012 e me surpreendi com a magnitude do aumento deste ano. Passou de R$ 2 milhões para R$ 2,8 milhões, um aumento de 40%. Veja abaixo.

Tabela gastos publicidade Novo Hamburgo

Gráfico Gastos Publicidade Institucional Novo Hamburgo

Tarcísio se apropriou de obras privadas e federais como se fossem suas realizações. O exemplo é a extensão do Trensurb para a cidade. Parece que ao invés de fazer obras importantes para o município, ele prefere gastar vultosas quantias para convencer a população, sempre apoiado por uma Câmara dos Vereadores subserviente e por uma imprensa omissa que faz apenas jornalismo positivo para o Executivo.

O mais irônico é que, apesar disto tudo, Tarcísio pode ser cassado por um motivo menos importante como participar de uma inauguração. Lembra a história do gângster Al Capone preso por causa do Imposto de Renda ao invés de todos seus crimes e assassinatos.

Al Capone

Al Capone

Gostaria mesmo é que a população de Novo Hamburgo cassasse o futuro mandato do prefeito petista, dizendo NÃO para a queima de recursos com publicidade e para toda a sua incompetência e prepotência. Amanhã é o dia!

3 Comentários

Arquivado em Ética, História, Política

Golfinhos de Guerra

Durante meus vinte dias no Canadá, normalmente aproveitava para fazer uma leitura do jornal local, “The Saskatoon StarPhoenix”, no café da manhã do hotel.  Em uma destas leituras matutinas, havia a notícia sobre exercícios conjuntos das forças armadas americanas e canadenses nos quais participaram golfinhos treinados pelos americanos.

Golfinhos da Marinha Americana

Sargento Andrew Garrett observa um golfinho durante treinamento no Golfo Pérsico. (Foto: Brien Aho/AP)

A marinha americana, desde os anos 60, vem desenvolvendo um programa que usa mamíferos marinhos (Marine Mammal System) em operações especiais, como os golfinhos-nariz-de-garrafa (golfinhos comuns) e os leões marinhos californianos. Os golfinhos e baleias possuem um sonar mais eficiente do que o melhor dispositivo desenvolvido pelo homem, enquanto os leões marinhos apresentam uma visão privilegiada mesmo em condições de baixíssima iluminação.

Leão marinho da Marinha Americana.

Leão marinho em treinamento pela Marinha Americana.

A principal função dos golfinhos é a localização de minas marinhas. Eles foram usados com sucesso na Invasão do Iraque em 2003 para limpar as minas no Porto de Umm Qasr. Atualmente estão em treinamento para outra missão semelhante, se o Irã cumprir sua ameaça de colocar minas no Estreito de Ormuz, por onde passam pelo menos um quinto dos carregamentos de petróleo do mundo.

Estreito de Ormuz

Localização do Estreito de Ormuz no Golfo Pérsico

A marinha americana garante que os golfinhos não são responsáveis pela detonação das minas, apenas pela sua detecção e marcação. Por outro lado, de acordo com notícia do site CBS News, em 26 de março de 2011, pelo menos três mortes de golfinhos na costa de San Diego na Califórnia estavam ligadas a exercícios da marinha americana. Claro que estes mamíferos marinhos não estão prestando serviço voluntário para as Forças Armadas! Será que podemos considerar ética a exposição de animais a missões de alto risco como estas?

Peter Singer define especismo como sendo a discriminação dos homens contra as outras espécies de animais. Assim os humanos podem usar outras espécies como escravos ou criá-las para depois abatê-las e usá-las como alimento. O filósofo australiano também comparou o especismo com outras formas de discriminação como o racismo e o sexismo.

Peter Singer

Peter Singer e a Liberação Animal

A maioria das pessoas fica sensibilizada com notícias sobre violência contra golfinhos, baleias, macacos ou animais domésticos, como cães e gatos. Por outro lado, não são concedidos os mesmos direitos a outros animais, como galinhas, porcos e vacas.

Vaca e Golfinho

E eu nem falei sobre  sustentabilidade ou dos problemas ecológicos causados pela criação de animais para consumo humano…

 

3 Comentários

Arquivado em Animais, Ética, Filosofia, História, linkedin, Política, Tecnologia