Arquivo da tag: combustão

Reações Espontâneas e Energia de Ativação – A Barreira Quase Intransponível Para Ser Feliz

Sabe que gostei deste negócio de misturar físico-química com comportamento humano… Hoje mostrarei que, da mesma forma que uma reação química, não basta ser espontânea para que uma transformação ocorra em nossas vidas, é necessária uma energia para iniciar o processo.

Muitas reações químicas que ocorrem à nossa volta são espontâneas, isto é, uma vez iniciadas prosseguem sem a necessidade de ajuda externa. A combustão da gasolina ou etanol é um exemplo deste tipo de reação. Se houver oxigênio, basta uma faísca para iniciá-la. Se não interferirmos, enquanto houver combustível e oxigênio, a chama não se extinguirá, porque a reação é espontânea.

Para reduzir a energia necessária para iniciar uma reação e aumentar sua velocidade muitas vezes usam-se catalisadores. Veja a figura abaixo.

Energia ativacao

Efeito do catalisador na energia de ativação de uma reação

Neste gráfico, fica claro que a reação catalisada (curva azul) ocorrerá mais facilmente do que a não-catalisada (curva vermelha).

Em nossas vidas, normalmente sabemos o que não está certo e o que deve ser mudado. Por que deixamos como está? Simplesmente, porque para que a mudança ocorra, necessitamos da “maldita” energia de ativação. Este é o motivo que justifica a permanência num emprego desmotivador, a manutenção de um casamento falido ou a dificuldade para assumir a opção sexual.

Para muitas pessoas, a energia para iniciar sua transformação é uma barreira praticamente intransponível. Medo do fracasso, de críticas dos outros, de preconceitos sociais elevam às alturas a demanda de energia de ativação.

gulliver

Gulliver preso pelas finas cordas dos pequenos habitantes de Lilliput. Na verdade, seu medo o manteve preso, não foram as cordas.

Neste momento, podem surgir catalisadores nas nossas vidas. Você está descontente com seu emprego e aparece uma proposta para um novo. Seu casamento vai de mal a pior e surge uma nova paixão. E assim por diante…

O ideal é autocatalisarmos as mudanças. Os catalisadores externos muitas vezes nos levam a armadilhas, porque as decisões são geralmente pouco refletidas. Passa-se anos sem encarar o problema, evitando até pensar nele e, graças a um estímulo externo, decide-se impulsivamente. Sempre é melhor refletir profundamente sobre os motivos das insatisfações para decidir quais serão as nossas ações para atacá-las. Geralmente os problemas, as oportunidades e as soluções já estão dentro de nós mesmos.

 

8 Comentários

Arquivado em Geral, Gestão de Pessoas, linkedin, Psicologia, Tecnologia

As Pessoas Agem de Modo Exotérmico ou Endotérmico

Quando publiquei meu último artigo “A Primeira Lei da Termodinâmica e o Comportamento Humano”, a Claudia me provocou, via Facebook, para “escrever um sobre as pessoas exotérmicas e as endotérmicas”. Desafio aceito!

Quando você terminar a leitura, poderá classificar seus amigos e conhecidos nestas duas categorias. Por outro lado, você se lembrará de situações nas quais foi exotérmico ou endotérmico. Sei que a maioria das pessoas odeia química, mas iniciarei com a explicação sobre a diferença das reações exotérmicas e endotérmicas. Como no artigo anterior, serei mais pé no chão e direto possível. No final, além de entender um pouco mais de química, você poderá dar cantadas incríveis em uma balada como esta:

– Gata, você é muito endotérmica! E eu tenho toda energia que você precisa… 😉

OK, já sei – a piadinha foi muito nerd…

Nas reações exotérmicas, a energia dos produtos da reação será menor do que a dos reagentes. Esta energia é chamada entalpia (símbolo H) e a “sobra” (variação da entalpia ΔH) será liberada no meio, ocasionando aumento da temperatura. A combustão é um exemplo deste tipo de reação. Veja a figura abaixo.

exotermica

Reação exotérmica

Nas reações endotérmicas, ocorre exatamente o contrário. A energia dos produtos da reação será maior do que a dos reagentes. A entalpia (H) que “falta” (DH) será absorvida do meio, ocasionando redução da temperatura. A fotossíntese é um exemplo deste tipo de reação, pois utiliza a energia do sol para acontecer. Veja a figura abaixo.

endotermica

Reação endotérmica

Agora que você já sabe o que são reações exotérmicas e endotérmicas, entendeu a piadinha e teve certeza de que ela é fraca mesmo, vamos discutir as pessoas e a classificação de seus comportamentos.

Pessoas normalmente exotérmicas são aquelas que incendeiam o ambiente. Isto é péssimo, quando a harmonia do ambiente é prejudicada por esta forma de comportamento. São indivíduos que parecem amar os conflitos. Por outro lado, é ótimo, quando o ambiente é energizado por esta pessoa. São agentes da mudança que não permitem que o marasmo e o “concordismo” se perpetuem no ambiente. Algumas vezes a fronteira é tênue entre estes dois tipos de exotérmicos.

Da mesma forma do caso anterior, podem existir dois tipos de pessoas endotérmicas. O primeiro tipo é o depressivo. Ele parece existir para sofrer e roubar a energia das outras pessoas. São “vampiros”! Uma variação deste tipo são os pessimistas e os maledicentes que sempre acham que tudo está errado. A energia do ambiente é destruída por estas pessoas. Por outro lado, existem ótimos endotérmicos. São aquelas pessoas que absorvem a energia do ambiente para reduzir os conflitos. São grandes conciliadores!

Preparei a figura abaixo para resumir os quatro tipos apresentados acima.

Pessoas exotermicas endotermicas

Diagrama – Comportamentos Exotérmicos e Endotérmicos

Fica claro que ninguém deve ser 100% do tempo exotérmico ou endotérmico. O melhor sempre é agirmos conforme a situação. Poderíamos ser endotérmicos, quando houver conflitos, e exotérmicos, quando o moral do grupo estivar baixo ou se consolidar aquele pensamento único perigoso.

 

4 Comentários

Arquivado em Geral, Gestão de Pessoas, linkedin, Psicologia, Tecnologia