Sejamos Oportunistas!

Acho incrível como certas palavras ganham contornos negativos com o passar do tempo, enquanto outras passam a ter significados muito melhores do que os originais. Por exemplo, o grande poeta Augusto dos Anjos escreveu no seu impactante soneto “Versos Íntimos”:
 

Vês?! Ninguém assistiu ao formidável
Enterro de tua última quimera.
Somente a Ingratidão — esta pantera —
Foi tua companheira inseparável!

Formidável, em seu sentido original, significa terrível, pavoroso. Afinal o que pode ser mais terrível do que o enterro do último sonho ou ilusão de uma pessoa?  Hoje todos usamos a palavra formidável, no Brasil, para adjetivarmos algo excelente.

Augusto dos Anjos publicou apenas um livro de poesias: "Eu"

Por outro lado, os dicionários definem o oportunista como aquele que sabe tirar proveito das circunstâncias de dado momento, em benefício de seus interesses. Será que isto é realmente mau, se os aspectos éticos forem levados em consideração? O significado de oportunismo, na esfera da política ou dos negócios, deixa implícito que esta prática é empregada independentemente do sacrifício de princípios éticos. No futebol, curiosamente, é um grande elogio dizer que o atacante do time é oportunista. No Internacional, lembro de nomes como Dadá Maravilha, Geraldão e Nilson. Abaixo você pode assistir ao gol de Dario na final do campeonato brasileiro de 1976 contra o Corinthians.

Sejamos o atacante oportunista da nossa vida pessoal e profissional para aproveitarmos as circunstâncias favoráveis e atingir mais rápidos nossos objetivos. Vamos manter as antenas sempre ligadas. Só tenho um último lembrete, não esqueçam da ética, porque como escreveu Augusto dos Anjos no final do soneto “O Morcego”:

A Consciência Humana é este morcego!
Por mais que a gente faça, à noite ele entra
Imperceptivelmente em nosso quarto!

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Ética, Blog, Esporte, Gestão de Pessoas, Inter, linkedin, Literatura

2 Respostas para “Sejamos Oportunistas!

  1. Simone

    No mundo atual muitas palavras perderam seu sentido de origem. As palavras ética e moral são irmãos gêmeos por nascimento. Etimologicamente ética vem do grego ethos, ao passo que moral tem sua raiz no latim mores, significando ambos a mesma coisa: costumes. Assim esses dois conceitos eram equivalentes. Na antiguidade jamais se concebeu um sistema de costumes em separado de um sistema filosófico. Antigamente toda filosofia tinha por meta sua aplicação direta e nenhum pensador se atreveria a falar e atuar de forma diferente. Erro característico da época moderna…Muitas coisas perderam seu verdadeiro sentido .
    Grande abraço
    Simone

    Curtir

    • Simone,

      Grato pela grande contribuição!

      Este caso que acabaste de levantar é mais grave. A ética e a moral representam nos discursos conceitos, muitas vezes, diferentes da prática. Só isto poderia explicar a indicação de políticos de reputação duvidosa para Comissão de Ética do nosso Senado…

      Deveríamos ser intransigentes com o significado de palavras como ética e moral, exigindo que a teoria seja praticada de forma genuína.

      Abraço,

      Vicente

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s