Arquivo da tag: China

O Festival de Carne de Cachorro e os Mini Porcos de Estimação

Ontem começou um festival de carne de cachorro na cidade chinesa de Yulin, no qual dez mil animais serão comidos até o final deste evento. Muitos grupos protestaram e abaixo-assinados eletrônicos com milhões de adesões circularam pela Internet, pedindo o cancelamento deste festival, sem sucesso.

Cães vendidos em um mercado de Yulin na China

Cães vendidos em um mercado de Yulin na China

Ficamos chocados com crueldades contra animais de estimação como cães e gatos. Não admitimos que sejam mortos para alimentar humanos. Carne de cavalo é muito pouco consumida no Brasil, mas no país existem matadouros que exportam este tipo de “iguaria” para alguns países europeus como, por exemplo, França e Itália. Parece que a proximidade com os cavalos, vistos usualmente à frente de carroças que circulam pelas ruas das cidades brasileiras, torna sua imagem mais concreta e impede o consumo de sua carne. Por outro lado, não se tem a mesma sensibilidade em relação aos bois, porcos e galinhas.

Lembro-me do caso da filha de um colega que parou de comer coração de galinha, quando descobriu que o coração de galinha era de uma galinha. Muitas pessoas têm a incrível habilidade de abstrair a informação sobre a origem do pedaço de carne que comem, desvinculando-a completamente do animal morto. Parece que o presunto não vem do porco, o filet mignon não vem do boi ou o coraçãozinho não vem da galinha.

O mini porco parece ser mais uma destas oportunidades de tomada de consciência das pessoas. Ao adotar porcos, seres mais inteligentes do que os cães, como animais de estimação, ficará difícil consumir sua carne. Estes porquinhos de estimação viverão entre 15 e 20 anos, muito mais do que os leitõezinhos das ceias de fim de ano mortos com um mês de vida ou os demais porcos de corte, abatidos aos quatro meses.

mini-porco

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Animais, Ética, linkedin, Psicologia

Novos Escândalos – Isto não é Brasil!

Na terça-feira pela manhã, caminhei até o Hotel Hilton, onde estava hospedado um colega, lá pegaríamos nossa carona até a Universidade de Saskatchewan em Saskatoon no Canadá. Na esquina do hotel, um senhor sikh distribuía o Jornal Metro. Na capa, havia uma história sobre uma jovem de 23 anos que havia recebido na segunda-feira a determinação da Justiça de não ter contato com seu marido, um senador de 69 anos.

Maygan Sensenberger e Rod Zimmer

Senador Rod Zimmer, 69, e sua esposa Maygan Sensenberger, 23

A exploração que os jornais fizeram deste caso foi digno da nossa “Terra Brasilis”. Muito pouca gente conhecia o senado Rod Zimmer e menos pessoas ainda sabiam da existência da sua jovem esposa Maygan Sensenberger. Então quais seriam os motivos de tamanha repercussão? A verdade é que a maioria dos humanos gostam de uma boa fofoca. Olha só que história! Uma jovem bonita, casada com um político rico muito mais velho, durante um voo, faz um tremendo escândalo dentro do avião. Grita para todo mundo ouvir que não queria conhecer a família do marido em Saskatoon, que iria deixá-lo e chega ao ponto de ameaça-lo de morte, dizendo que cortaria sua garganta. Depois, quando parecia que já estava tudo controlado, começou a dizer que derrubaria o avião, o que gerou pânico entre os passageiros. No dia 18 de setembro, está marcada a próxima audiência para o deleite de muita gente…

O que está por trás desta notícia? Perguntei para alguns canadenses se eles conheciam este senador. Eles disseram que poucos senadores são conhecidos e que a atuação do Senado é extremamente apagada. O Senado foi criado com inspiração na Câmara dos Lordes da Inglaterra, sendo composto por 105 membros indicados originalmente pelo Governador-Geral (representante da Rainha Elizabeth, a chefe de estado do Canadá) com a influência do Primeiro-Ministro (chefe de governo do país). Hoje funciona da forma contrária, o Primeiro-Miinistro indica quem ele quiser, normalmente da mesma tendência política. Ou seja não há eleições para o Senado. Cada senador fica no cargo até morrer ou completar 75 anos de idade (o que acontecer primeiro é claro). Eles são responsáveis por aprovar as contas da Câmara dos Comuns e do Governo, mas raramente rejeitam algum item ou interferem na aprovação de alguma lei. Para fazer este trabalho estressante cada senador recebe o salário base anual de 132 mil dólares canadenses (equivalente a R$ 22 mil por mês) com direito a aposentadoria vitalícia. Já houve tentativas para alterar isto, mas não foi para frente por falta de vontade política. E tem gente que acha que isto só acontece no Brasil…

Senado Canada

Senado Canadense

Vamos para outro escândalo desta vez no outro lado do mundo. Hoje no café da manhã, folheava as páginas de um jornal local, The Saskatoon StarPhoenix, quando li uma manchete muito interessante:

– “Líder de Pequim balança devido à polêmica sobre o acidente com Ferrari”.

O líder da manchete se chama Ling Jihua e exercia um importante cargo dentro do governo chinês, estando ligado diretamente ao Presidente Hu Jintao, conforme pode ser visto na foto abaixo.

Ling Jihua e o Presidente Hu Jintao

Ling Jihua, de pé a esquerda, e o Presidente Hu Jintao, assinando um documento

Ling Gu, o filho de Jihua, destruiu uma Ferrari 458 Spider preta que dirigia na madrugada do dia 18 de março deste ano em uma estrada próxima a Pequim. Como consequência do acidente, ele morreu. Havia duas mulheres no carro (esportivo com apenas dois assentos), mas não há nenhuma informação sobre elas. A notícia foi abafada pelo governo chinês até vir à tona ontem.

O que está por trás desta notícia? Um líder do Partido Comunista Chinês recebe oficialmente US$ 15.600 por ano. Como poderia dispor de US$ 780.000 para comprar um carro esporte?

Ferrari Ling Gu

Ferrari destruída por Ling Gu, filho de Ling Jihua

Este caso perde longe para outro caso escandaloso, onde o prefeito de Chongqing, uma das cidades mais importantes da China com população de 29 milhões de pessoas, e sua esposa se envolveram em um caso que mesclou corrupção, evasão de divisas, traição e assassinato. Bo Xilai, um dos homens mais importantes da China, caiu em desgraça após a revelação que sua esposa Gu Kailai envenenou o inglês Neil Heywood.

Gu Kailai, Bo Xilai e Neil Heywood

Gu Kailai, Bo Xilai e Neil Heywood

Heywood mantinha negócios com Bo Xilai relacionado à remessa clandestina de grandes somas de dinheiro no exterior. Ele e a esposa de Bo, Gu Kailai, foram amantes, mas estavam em conflito devido a uma questão financeira. Ela envenenou e matou o inglês em novembro do ano passado, A polícia local inventou uma versão fantasiosa sobre envenenamento por álcool, que foi rejeitada, e finalmente revelou-se a verdade somente em março deste ano. Bo perdeu seu cargo no Comitê Central do Partido Comunista e sua esposa foi presa e condenada. Estima-se que os negócios e ativos de Bo Xilai no exterior cheguem a US$ 136 milhões.

O que estas histórias têm em comum? A primeira começa na confusão em um avião, mas termina na revelação de um sistema político ineficiente, inútil e caro, no qual os políticos não permitem sua mudança. O segundo caso, começa em um grave acidente de carro, mas revela o submundo da corrupção na política, onde grandes somas de dinheiro são desviadas locupletando políticos sem ética. Por incrível que pareça para muita gente, estas histórias não aconteceram no Brasil. Estamos longe da perfeição, mas não somos os únicos que temos um sistema político caro e ineficiente ou convivemos com casos de corrupção.

Para finalizar, gostaria de afirmar que não me deixa feliz ver que não somos os únicos com estes tipos de problemas. O que podemos fazer melhor do que os canadenses e os chineses? Não podemos nos acomodar como os canadenses, devemos exigir as reformas políticas que tornariam nossa democracia melhor. Devemos fiscalizar os atos dos políticos, atividade vedada aos chineses, e exigir que o dinheiro de nossos impostos sejam bem empregados.

 

Deixe um comentário

Arquivado em Ética, História, linkedin, Política