O Medo

Uma das sensações mais controversas que existe é o medo. Sem dúvida, a espécie humana só foi preservada até os dias de hoje devido a este sentimento. Provavelmente os humanos destemidos, que decidiram lutar sozinhos à unha com feras, morreram e não deixaram descendentes. Como diria Darwin, a seleção natural preservou uma característica útil para a sobrevivência da espécie – a habilidade de sentir medo.

Darwin

Charles Darwin

O medo nos dá limites! Sabemos que não se pode entrar no mar agitado, porque temos o risco de morrer afogados. Sabemos que não devemos ficar do outro lado dos arrecifes na Praia da Boa Viagem em Pernambuco, porque um tubarão pode nos atacar. Sabemos que não podemos atravessar uma rua antes de ver se ela esta livre, porque podemos ser atropelados. O medo nos ajuda a evitar acidentes, lesões e mortes.

Por outro lado, quando este medo é excessivo, podemos ficar paralisados, o que é terrível. Muitas vezes, não se consegue tomar uma decisão simplesmente pelo medo de errar. Theodore Roosevelt, presidente americano nos primeiros anos do século XX, disse uma frase interessante:

– Em um momento de decisão, a melhor coisa que você pode fazer é a coisa certa; a segunda melhor é a coisa errada e a pior coisa é não fazer nada.

Theodore Roosevelt

Theodore Roosevelt

Na universidade, lembro-me de uma professora da cadeira de Equações Diferenciais que era muito exigente e suas turmas sempre tinham um percentual alto de reprovações. Suas provas sempre tinham alguma frase “inspiradora” no cabeçário. A melhor de todas era baseada em outra frase famosa de Theodore Roosevelt:

– É melhor lutar em busca de triunfos gloriosos, mesmo expondo-se ao fracasso, do que viver em uma penumbra cinzenta sem conhecer vitória ou derrota.

Vi pessoas, que sabiam o que era o certo a fazer, ficarem paralisadas pelo medo de perder o emprego. No final, perdiam o emprego pela completa falta de ação. Isto vale para muitas situações na vida pessoal ou profissional. Casais se separam por medo de enfrentar suas diferenças. Pais e filhos brigam e, por medo da rejeição, não se reconciliam e lamentam amargamente quando a morte encerra qualquer chance de entendimento.

O certo é viver sem medo de perseguir nossos sonhos. Se algo der errado, vamos tentar de novo. Não podemos ser escravos do medo de fracassar, porque, neste caso, já teremos fracassado.

medo

Anúncios

2 Comentários

Arquivado em Filosofia, Gestão de Pessoas, linkedin, Psicologia

2 Respostas para “O Medo

  1. Pingback: Post 200 – Retrospectiva | World Observer by Claudia & Vicente

  2. Sissym

    Muito bom artigo. Hoje mesmo li um, em outro idioma, que falava sobre o medo. Eu já passei pela experiencia de saber o que era o certo a fazer, mas não querendo arriscar demais, não me atirei de cabeça. Com certeza o medo serve de limite, mas em excesso peca por não permitir experimentar o novo ou a opção alternativa.

    Bjs

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s