As Boas Derrotas da Vida

Li na sexta-feira no LinkedIn um texto aparentemente despretensioso de Peter Guber. Aqueles que nunca ouviram falar nele, por gentileza, juntaram-se a mim, porque também nunca tinha ouvido nele anteriormente. Guber é o fundador e CEO da Mandalay Entertainment, que produz filmes para o cinema, séries para a TV, além de ser proprietário de várias franquias de esportivas, sendo as principais o Golden State Warriors (time de basquete da NBA) e Los Angeles Dodgers (time de beisebol da MLB). Por que resolvi comentar este texto aqui no blog? Simplesmente enxergamos o que nos cerca através dos filtros que usamos no momento.

Peter Guber

Peter Guber

No final de semana passado, perdi para mim mesmo. Tive algumas reações que eu deveria controlar, mas não consegui… Muitas vezes enfrentamos casos assim, achamos que estamos dominando tudo e de repente, algo nos derruba. Nestes momentos, temos duas opções para encarar a situação:

1. O problema está no exterior – outras pessoas, azar, ambiente;
2. O problema está dentro de nós.

Claro que acontecem muitas coisas que nos atingem que não temos controle algum. Não tenho a visão ingênua de que tudo depende exclusivamente de mim, mas não podemos acreditar que somos uma vítima da sociedade, dos governos e das corporações e, por não termos poder comparável, nada podemos fazer. Por outro lado, devemos ter auto-controle e não revidar simplesmente uma agressão com outra, porque perdemos assim todo nosso equilíbrio.

Guber cita a declaração do maior jogador de basquete de todos os tempos, Michael Jordan, quando foi homenageado por ocasião do seu aniversário de 50 anos:

– Já perdi mais de 9.000 arremessos em minha carreira. Eu perdi quase 300 jogos. Em 26 ocasiões me foi confiada a oportunidade de vencer o jogo, acertando um arremesso e eu perdi. Eu falhei uma e outra e outra vez na minha vida. E é por isso que eu consegui.

Michael Jordan

Michael Jordan

Se Jordan entrasse em depressão após cada um destes fracassos, ele jamais teria atingido os níveis de excelência superados durante sua exitosa carreira. Cada erro se tornava um estímulo para seguir em frente e fazer cada vez melhor. Após minha péssima noite de domingo, no dia seguinte já tinha pensado em tudo que poderia fazer para evitar a repetição daqueles erros. Da mesma forma, usando uma gíria esportiva, não podemos usar “salto alto”, porque todas as vezes em que acreditamos que nada nos derrubará, acabamos caindo sozinhos. Nestas horas, a dor, a vergonha e a tristeza de não ter feito o que devíamos será nossa maior derrota.

Encerro o post, comentando uma frase realista de Guber:

– Você como um líder deve reconhecer que o sucesso tem muitos pais e fracasso é órfão. E é no fracasso que a sua liderança é mais necessária.

Ou seja, o fracasso deve ser encarado de frente, as causas devem ser analisadas e ações devem ser efetivadas para evitar a repetição. Quando temos uma postura positiva, atingimos novos níveis de excelência. Nesta hora, tentaremos fazer coisas mais complexas e, eventualmente, falharemos de novo. Nesta hora, devemos repetir o mesmo processo, ter a mesma atitude e seguir em frente.

Anúncios

1 comentário

Arquivado em Gestão de Pessoas, linkedin, Psicologia

Uma resposta para “As Boas Derrotas da Vida

  1. cara muito bom seu blog gostei msmo.
    vlw!!!!!!!!!!!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s