Arquivo do dia: 06/11/2009

Risoto Again!!! – Tomate Seco com Rúcula

Adoro risoto! Os leitores do meu blog  já viram as receitas do clássico risoto de funghi secchi e cogumelos frescos  e do exótico risoto de pera com queijo gorgonzola. Agora chegou a vez do charmoso risoto de tomate seco com rúcula.

risoto-de-rucula-com-tomate-seco

Rendimento: 4 porções

Ingredientes:

1 vidro de tomates secos (120 gramas drenado)
1 molho de rúculas (de preferência hidropônica)
1 xícara de vinho branco seco
1 cebola grande picada
2 xícaras de arroz arbóreo
1,5 litros de caldo de legumes
sal e pimenta-do-reino a gosto
queijo parmesão ralado a gosto

Modo de preparo:

Drene e pique grosseiramente os tomates secos. Reserve o óleo temperado.

Separe e lave as folhas de rúcula.

Numa panela, leve o óleo dos tomates secos e uma colher da manteiga ao fogo baixo. Quando estiver quente, acrescente a cebola picada e misture bem com uma colher de pau por 4 minutos ou até que fique transparente.

Acrescente o arroz e o tomate seco. Refogue por 1 minuto, mexendo sempre.

Adicione o vinho e misture bem, até evaporar.

Quando o vinho secar, acrescente uma concha do caldo e mexa sem parar.

Quando secar, junte outra concha e repita a operação por 15 minutos, sempre em fogo alto.

Verifique o ponto: o risoto deve ser cremoso, mas os grãos de arroz devem estar “al dente”. Porém, se ainda estiver muito cru, continue cozinhando por mais um minuto. Se for necessário, junte um pouco mais de caldo e mexa bem. Na última adição de caldo, não deixe secar completamente.

Adicione uma colher de sopa de manteiga e o queijo parmesão, mexa e desligue o fogo.

Coloque a rúcula sobre o risoto, tampe a panela e deixe “descansar” por 5 minutos.

Prove o tempero e corrija se precisar e sirva quente.

Para acompanhar este prato, a sugestão é um bom espumante brasileiro brut ou moscatel. Para os que preferirem um vinho tinto, sugiro o Pinot Noir da Vinícola Dal Pizzol.

Anúncios

Deixe um comentário

Arquivado em Gastronomia, Lazer

Holanda – Exemplo de Tolerância para o Mundo

A Holanda é um país da Europa que eu tenho muita simpatia. Os holandeses respeitam as diferenças entre as pessoas e toleram hábitos e opiniões diferentes.

Em maio de 2002, eu estava na Holanda, visitando algumas empresas quando estourou uma verdadeira bomba no país. Pim Fortuyn, político e líder populista de direita, foi assassinado por um ativista ecológico de esquerda logo após dar uma entrevista em uma rádio. Esta morte gerou uma verdadeira comoção no país. Este era o primeiro crime político em mais de três séculos. Bastava ligar a televisão e já apareciam notícias sobre o crime ou a biografia do político.

PimFortuyn

Pim Fortuyn

Fortuyn foi foco de controvérsia devido às críticas contra os mulçumanos e suas posições anti-imigração. Ele opunha-se aos imigrantes islamitas, porque se recusavam, segundo sua opinião, a integrar-se na sociedade holandesa, constituindo uma ameaça à cultura tradicionalmente tolerante do país. Qualificava o Islã como uma cultura atrasada. Nas eleições nacionais, ele se opôs a toda imigração vinda de fora da Europa.

Por sinal, até mesmo a extrema direita é diferente na Holanda, Fortuyn era homossexual assumido e o vice-presidente do seu partido era um negro oriundo do Suriname.

Outro ponto interessante sobre a pátria de Rembrandt e Van Gogh é a sua constituição. Em 2005, mais de 60% dos holandeses rejeitaram a constituição da Comunidade Européia, pois temiam que o país não pudesse mais adotar a legalização das drogas, da prostituição, do aborto e da eutanásia.

 Netherlands_referendum_on_European_constitution

O primeiro artigo da carta magna do país, por exemplo, proíbe qualquer forma de discriminação. Este direito é absoluto e não pode ser limitado por lei. Todos concordam que isto é excelente, mas contarei um caso que aconteceu comigo que nos faz pensar sobre esta norma. Para se ter uma idéia da extensão deste preceito constitucional, em outra viagem à Holanda, eu estava em um restaurante com dois holandeses. Fizemos nosso pedido e iniciamos uma conversa, quando o pessoal da mesa do lado começou a fumar. Perguntei se não havia área para fumantes naquele restaurante. A resposta foi surpreendente. Se houvesse uma área para fumantes, seria uma forma de discriminação, o que é terminantemente vedado pelo primeiro artigo da constituição.  Desta vez achei um exagero…

fumo

Nem fumantes podem ser discriminados...

Este comportamento tolerante permitiu a construção de um país com boa parte do seu território abaixo do nível do mar. Aconteceram muito menos conflitos religiosos do que em outros países europeus. E, finalmente, são pessoas que procuram escutar e aceitar que os outros podem pensar e agir de forma diferente. Um genuíno exemplo para nós brasileiros…

2 Comentários

Arquivado em Geral, História, linkedin, Política