A Decepção Colorada

Esperei uns dias para escrever sobre a surpreendente derrota do Inter para o Mazembe do Congo na semifinal do Mundial de Clubes em Abu Dhabi. Óbvio que o resultado me deixou muito chateado, afinal a expectativa pela conquista do Bi era muito grande.

Kidiaba do Mazembe foi destaque no jogo (Foto do site do Internacional)

Muitos dizem que esta é a maior derrota do Colorado em todos os tempos, mas eu particularmente não concordo. O pior momento da história centenária do Inter foi a derrota para o Olímpia na semifinal da Libertadores de 1989. Naquela ocasião, o Inter buscava um título que o igualaria ao seu maior rival, o Grêmio. Tivemos muitos momentos difíceis na década seguinte, quando conquistamos apenas uma Copa do Brasil.

No basquete ou no vôlei, se um time é muito melhor do que o outro, certamente ganhará. Quando um time joga melhor, tem mais volume de jogo, será o vencedor. Já no futebol, um time pode ser dominado durante os noventa minutos, sofrer uma pressão incrível e, em apenas um lance, pode ganhar a partida. Este é um dos atrativos deste esporte, onde Davi pode derrotar Golias.

Dois jogos coincidentemente com o mesmo placar, 3 x 2, e com circunstâncias semelhantes me mostraram isto. Inter e Olímpia do Paraguai, já citado acima, e a derrota da seleção brasileira para a italiana na Copa de 82 na Espanha foram muito injustas. Ensinaram-me que não existem deuses no futebol, premiando o time que joga melhor e busca a vitória todo o tempo, mesmo quando um simples empate já é suficiente para garantir a classificação. Estes jogos foram responsáveis pela redução da minha sensibilidade em relação às derrotas futebolísticas. Assim consigo encarar derrotas com mais serenidade.

Desde 2006, o Inter ganhou todos os títulos internacionais disponíveis e estas conquistas não serão diminuídas por este fracasso. A direção do clube deve extrair os ensinamentos, levantar a cabeça e pensar no futuro.

O primeiro ponto é não se poupar para um grande momento, quando existem outros momentos importantes para viver até este dia. Talvez, se houvesse mais empenho para vencer o Campeonato Brasileiro, estivéssemos festejando uma conquista que a torcida espera há mais de trinta anos. O Mundial seria a cereja do bolo de uma temporada maravilhosa! Mas, após o gol do Mazembe, os jogadores sentiram o peso de mostrar que os quatro meses de preparação foram justificados, incluindo o abandono da maior competição nacional. Em 2011, o Inter tem que entrar para ganhar a Libertadores, o Brasileirão e, se tivermos chance, o Mundial sem reduzir a atenção dada à competição nacional.

O Inter deve trocar peças para qualificar o elenco em termos técnicos e motivacionais. Devem ser criadas oportunidades para as jovens promessas. Jogadores, que apresentam desempenho abaixo do esperado ou que estejam desmotivados, devem ser negociados ou dispensados. Acredito que o atual treinador, Celso Roth, não terá condições de motivar e liderar o elenco na Libertadores que já se iniciará em fevereiro. A direção deve buscar alguém que saiba e goste de trabalhar com jovens para renovar o elenco. Se não conseguirmos ganhar a Libertadores, pelo menos chegaremos ao Brasileirão com o time montado.

O Inter cresceu muito nos últimos cinco anos e este fracasso não deve ser motivo para deter este processo. Ou já esqueceram que o Inter foi eliminado na primeira fase da Libertadores de 2007 após vencer a edição anterior? Continuo acreditando que o Inter vive, como já escrevi um post, um ciclo virtuoso.

Para finalizar este post, gostaria de fazer um paralelo com o Mundial que o Grêmio perdeu para o Ajax em 1995, Claro que sequei o Grêmio e me senti aliviado com a sua derrota. Naquela época o Inter estava enterrado em um lamaçal. Não ganhava títulos importantes e assistia ao Grêmio, levantando taças ou, pelo menos, disputando campeonatos importantes com chances reais de conquistá-los. Ou seja, nós colorados não queríamos que a distância para o Grêmio crescesse ainda mais.

Ajax x Grêmio - Mundial Interclubes de 1995

Parece que o sentimento que move os tricolores, depois de quinze anos da conquista da sua última Libertadores é este… O que é aceitável e compreensível por parte dos torcedores. Lamentável foi a postura da nova direção gremista. Dirigentes devem ter um comportamento diferente da torcida. As manifestações públicas devem ser centradas nos interesses diretos do clube. Estas cornetas do presidente Paulo Odone e do vice-presidente do clube Eduardo Antonini servem apenas para criar ressentimentos e ações violentas de torcedores. Não ajudam nem o próprio Grêmio.

Anúncios

4 Comentários

Arquivado em Esporte, Geral, Inter

4 Respostas para “A Decepção Colorada

  1. Julio

    Caro Vicente, manifesto-me no teu blog tardiamente, mas como diz o ditado: antes tarde… Bom, se aproxima o 1º aniversário da famigerada derrota do teu Inter para o Mazembe e li o teu texto e o achei muito respeitoso em relação a nós, os gremistas. Só queria fazer uma referência, em 1995, quando fostes secar o tricolor, tu pelo menos sabia o nome de alguns jogadores do Ajax: Van der Sar, Davids, Litmanen, Kluivert, Overmars e os irmãos De Boer, treinados por nada menos que o Prof. Louis Van Gaal. Enquanto que para nós e para o resto do mundo, a pergunta era: qual será a escalação do Inter para o jogo da final? É isso!! É essa a ENORME diferença: enquanto perdemos para o melhor time da época, vocês perderam para um ilustre desconhecido. E esse sentimento foi o mesmo que o Barcelona sentiu em 2006.

    Curtir

    • Realmente, li uma vez “é melhor tarde do que nunca, pois nunca é demasiado tarde”. Não importa se passou um ano da derrota do Inter para o Mazembe ou dezesseis da derrota do Grêmio para o Ajax, sempre podemos fazer análises e comparações destes fatos.

      Não poderia deixar de respeitar o Grêmio como rival, porque a grandeza do Inter foi motivada pelo Grêmio e vice-versa. Os títulos e os patrimônios dos dois clubes são as provas incontestáveis.

      Minha comparação dos dois jogos (Mazembe e Ajax) não foi em relação a qualidade dos adversários, apenas comparei os sentimentos dos “secadores”. Sem dúvida, o Ajax era o melhor time do mundo em 1995, como o Barcelona era o melhor em 2006 com Deco e Ronaldinho jogando um grande futebol. Por outro lado, o Hamburgo em 1983 foi jogar um amistoso de luxo em Tóquio. A história é conhecida, eles deixaram alguns titulares na Alemanha e levaram apenas dois reservas (um goleiro e um juvenil). Jogaram 120 minutos e não fizeram substituições!

      Mas este não era o objetivo do post… Eu queria olhar para o futuro que, naquela época, era o ano de 2011. Infelizmente o Inter renovou com o Roth, continuou com uma zaga veterana e lenta, não fez boas contratações para o ataque. Fez escolhas erradas e pagou por isto… O ano não foi muito bom, mas também não foi desastroso.

      O teu Grêmio não ganha um título importante há dez anos. Enquanto isto, o presidente gremista continua com os mesmos discursos: Arena, Batalha dos Aflitos, imortalidade, Mazembe… Não serei hipócrita e dizer que desejo um grande 2012 para o Grêmio, mas não quero que a OAS quebre o clube ou que ele seja novamente rebaixado. Um rival forte e saudável é um grande incentivo para nós colorados.

      Grande abraço,

      Vicente

      Curtir

  2. Amanda, realmente o Inter jogou pouco contra o Mazembe, mas mesmo assim teve as chances de gol mais claras e venceria a partida se tivesse aproveitado melhor as oportunidades. Como você colocou muito bem, faltou preparo psicológico.

    Ontem o Inter renovou com o Celso Roth até o final de 2011. Espero estar errado neste ponto e o Roth consiga motivar o grupo e fazer um grande trabalho.

    Abraço,
    Vicente

    Curtir

  3. Amanda Dias

    “Davi pode derrotar Golias”? Nessa partida só consegui ver dois Davis, não na irreverência e garra, mas na PEQUENEZ no futbol, não diria que foi algo decepcionante por estar disputando o bi campeonato, mas que foi revoltante pela falta de qualidade do time adversário que em alguns momentos conseguiu ser igualada pelo grande, porém não preparado psicologicamente Internacional…Abraço.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s